6.23.2008

Aceita um cafezinho?


Para mim, falar de café, é falar da minha vida. Durante todo o período de escola e faculdade, ia a Guaxupé duas vezes ao ano para visitar meus avós e posteriormente, visitar meus tios. Quem conhece cidade do interior sabe bem a delícia que é. Eu e minha irmã, além de disso, tinhamos a vantagem de ser netas únicas e de ter um avô com uma fazenda gostosa e de primas que moravam na cidade. Nosso programa de férias era passar o dia na roça, tomando banho de açude, tirando o leite da vaca, andando no cafezal nas mulas do vô. Muitas vezes, a visita a fazenda das primas eram passeios sustentados a broas, roscas, biscoitos de soda e polvilho. Mas o passeio que mais gostava mesmo era ir a cooperativa com o vô, ele mostrava de como uma frutinha vermelha que não tem polpa e não é doce, consegue se transformar numa das bebidas mais gostosas do mundo. Ele nos exibia como troféus para as pessoas que lá trabalhavam (que na verdade são os primos ) e dizia: Olhem as filhas da Marina, elas são do Rio! E todo mundo pedia para a gente repetir: dois pastéis só para escutar o chiado do carioca. Meu avô não está mais aqui nem a fazenda Cruzeiro pertence mais aos Magalhães do Vale mas, o passeio ainda repetimos agora com meu tio Zé Luiz que agora conta de toda importancia socio cultural da frutinha para nosso país e para o sustento de uma cidade e de uma cooperativa que hoje é a maior do mundo. As histórias vão muito além dessa e só comecei a contar aqui porque com a chegada do inverno, a turma fica com medo da geada castigar a colheita e a vontade de aquecer o corpo com um café se torna mais que importante. Além disso, a cada xícara, parece que fico mais perto daquele tio fofo que estou com muitas saudades mas, que essas "férias" não vou poder ver...
ps da foto:´café Prima Qualitá no Rio de Janeiro!! Esse é no Hotel Ouro Verde. A comida é gostosa mas o café...

3 comentários:

Batato disse...

Nossa que nostalgia gostosa,da até vontade de ter estado lá pra ver a fazenda a cidade e principalmente o café da tarde, com tudo que se tem direito e logico a menininha loira falando dois pasteis também devia ser a fofa das fofas.Beijos loira

Clarissa Magalhães disse...

pena que eu não era loira nessa época..

monica disse...

nasceu loirinha sim!!!!!!tia Monica